As festividades do fim de ano ficarão mais caras e um dos fatores é o preço da carne. Para se ter idéia a carne bovina teve um aumento nos últimos dias em Assis Chateaubriand que variou de 35 a 40%. Aumento afeta praticamente todo o país, mas aí com índices diferenciados.

Os consumidores estão assustados, pois antes compravam, por exemplo, a carne moída de 2ª, a um preço de R$ 12 o quilo. Atualmente ultrapassou a marca dos R$ 19. Outro exemplo pode ser dado no quilo do corte conhecido com filé agulha carne da parte dianteira do boi, antes vendido a R$ 12, agora na promoção é vendido a 19 reais o quilo.
Já os cortes nobres como bisteca com filé, alcatra, fraudinha e picanha os preços não chamam a atenção dos consumidores, pois variam de R$ 30 a R$ 50. Outros cortes que fazem parte do churrasco é a costela, seja, minga ou ripa, está sendo comercializada ao preço superior a R$20.

Até mesmo o bife do almoço ou do jantar é vendido há mais de 25 reais o quilo, sendo que o colchão mole chegou a ser comercializado a quase R$ 29. E a noticia não é nada boa, pois a cada dia que passa o preço aumenta. Uma das explicações é o aumento das exportações de carne bovina para a China e outros países que enfrentam doenças.
Outra situação é a escassez de gado e o aumento do consumo com a chegada do fim de ano.

Para quem pensa em se livrar de gastos excessivos, não tem como evitar, pois as carnes suínas e a de frango já haviam aumentado nos últimos meses. Para se ter idéia a bisteca suína chegou a ser comercializada a R$ 13 o quilo, isso na promoção. Cortes como paleta e pernil o preço chegou a quase R$ 12. Um dos cortes mais consumidos da carne de frango, coxa e sobre coxa já está sendo comercializado a um preço que passa dos R$ 8 sem estar na promoção.

Fonte: Vale Verde FM

Deixe seu comentário