A Secretaria de Estado da Saúde informa que já são 429 os casos confirmados de sarampo em 29 municípios paranaenses. Após 20 anos sem registro da doença, o primeiro caso foi constatado em uma paciente moradora da Região Metropolitana de Curitiba, que viajou a São Paulo e não estava vacinada.

As cadeias de transmissão já identificadas indicam que as contaminações ocorreram em São Paulo, Santa Catarina e também nos próprios municípios paranaenses, já com vínculos secundários, ou seja, de pessoas que viajaram, tiveram a doença e passaram para outras nas cidades em que residem. Por isso é importante notificar o serviço de saúde para que seja feito o bloqueio vacinal com os contatos do paciente para evitar novos casos.

O sarampo é uma doença de fácil transmissão e que se espalha rapidamente. Nas treze semanas de monitoramento, o crescimento do número de confirmações e locais de ocorrência é grande. Somente na última semana 61 pacientes foram constatados com o sarampo, um crescimento de 17%.

O secretário estadual da saúde, Beto Preto, chama a atenção para o grande número de confirmações na faixa de idade de jovens adultos. “Nosso levantamento aponta que 227, dos 429 casos confirmados, são de pessoas na faixa etária entre 20 e 29 anos. São os nossos jovens, que não sabem se tomaram a vacina ou acreditam que não ficam doentes”, disse. “A vacina é uma forma de bloqueio do vírus. Se todos forem imunizados não teremos sarampo, podemos chegar novamente ao patamar que estávamos anteriormente”, afirmou.

VACINAÇÃO – A segunda fase da campanha está acontecendo e segue até o fim do mês. O secretário lembra que há um grande público para atingir. “O Ministério da Saúde estimou que há quase 800 mil jovens sem vacina. Esta segunda etapa de vacinação é voltada a este público, jovens entre 20 e 29 anos. Precisamos aumentar a cobertura especialmente nessa faixa de idade porque eles representam mais do que a metade dos casos no Paraná”.

A campanha segue até o dia 30 (sábado), quando será realizado o dia D da vacina, em que os postos de saúde ficam abertos para que mais pessoas possam receber a dose da vacina.

Deixe seu comentário