A última etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa teve início em Palotina na manhã desta quinta-feira, dia 2, na propriedade de Ciro Gris, na Linha Salette. Ciro é um dos produtores que possui até cinco animais na propriedade e efetuaram o cadastro na Secretaria de Agricultura e Gestão Ambiental para receber doses da vacina subsidiado por meio de programa do município. A campanha segue até o final do mês de maio. A vacinação é obrigatória para animais jovens de zero a 24 meses.

“Este programa do município é importante, pois beneficia os pequenos criadores, que talvez tivessem maiores dificuldades em realizar a vacinação”, destaca o médico veterinário da Adapar (Agência de Defesa Agropecuária do Paraná), José Carlos Pereira. “A novidade é que o produtor deve estar atendo, pois a vacina que antes era 5 mililitros (ml), agora reduziu para 2 ml. Essa mudança tem a finalidade de reduzir as reações nos animais”, comenta Pereira.

Após a aplicação, os produtores assinam de imediato o formulário de comprovação da vacina que também é obrigatória. A comprovação de vacinação pode ser realizada presencialmente na unidade da Adapar ou pela internet (www.adapar.pr.gov.br). Caso a imunização do rebanho não seja realizada ou comprovada, os produtores poderão ser multados. As doses são aplicadas pelo técnico veterinário, Rodrigo Sato.

“A expectativa é que essa seja a última vacinação, e que o Estado possa ser declarado livre da febre aftosa”, disse o secretário de Agricultura e Gestão Ambiental, Antoninho Chechi.   No mês passado, o Paraná obteve autorização do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), para antecipar a suspensão da vacinação contra febre aftosa. Pelo cronograma, a autorização ocorreria no primeiro semestre de 2021.

Deixe seu comentário